Receita vai cruzar dados bancários com declarações de IR

Receita vai cruzar dados bancários com declarações de IR

A Receita Federal vai cruzar os saldos bancários dos contribuintes com o E-Financeira, sistema de informações através do qual os bancos deverão informar, anualmente, os saldos de contas bancárias, aplicações financeiras e outros dados das pessoas físicas e jurídicas, com base em 31 de dezembro de cada ano.

O objetivo desta iniciativa, instituída pela Instrução Normativa RFB 1.571/2015, é checar se os saldos e demais bens e direitos declarados são compatíveis com a variação patrimonial.

Entenda como vai funcionar:

Prazo

O prazo para entregar a declaração de IRPF 2019 será de 2 de março a 28 de abril, portanto organize-se corretamente com seus dados e saldos de aplicações, rendimentos (inclusive os não tributáveis e isentos, como os lucros ou dividendos, ganhos de capital isentos etc.). Entre em contato com o seu contador o quanto antes e lembre-se de pegar na sua agência bancária o saldo de 31 de dezembro de 2019.

Para não correr riscos, entenda quais são as informações obrigatórias do E-Financeira que os bancos deverão informar:

I – saldo no último dia útil do ano de qualquer conta de depósito, inclusive de poupança, considerando quaisquer movimentações, tais como pagamentos efetuados em moeda corrente ou em cheques, emissão de ordens de crédito ou documentos assemelhados ou resgates à vista e a prazo, discriminando o total do rendimento mensal bruto pago ou creditado à conta, acumulados anualmente, mês a mês;

II – saldo no último dia útil do ano de cada aplicação financeira, bem como os correspondentes somatórios mensais a crédito e a débito, considerando quaisquer movimentos, tais como os relativos a investimentos, resgates, alienações, cessões ou liquidações das referidas aplicações havidas, mês a mês, no decorrer do ano.

Também as aquisições de moeda estrangeira, transferências de moeda e de outros valores para o exterior, além de benefício de previdência complementar e pagamentos correspondentes deverão ser informados pelos bancos.